18/03/2013 19:43:44
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Estudo revela que mulheres portuguesas preocupam-se cada vez mais com o envelhecimento, a saúde e o bem-estar

A preocupação com o corpo e o bem-estar não são características apenas das mulheres mais jovens. À medida que a idade avança, surge também uma maior consciência de que a saúde – a par com a necessidade crescente de cuidar de si – são mais-valias para uma vida mais saudável, activa e um bem-estar generalizado, seja aos quarenta, aos cinquenta ou aos sessenta.


Esta é uma das conclusões de um estudo realizado pela GfK para Lutsine, que revela que 96 por cento das mulheres portuguesas, com idades compreendidas entre os 45 e os 64 anos, se preocupam cada vez mais com a sua saúde e aspecto físico.

O estudo mostrou que as portuguesas são consumidoras atentas, com preocupações estéticas e de saúde, procurando melhorar o seu aspecto físico, o seu bem-estar e que querem sentir-se bem na sua pele. Fazem exercício para se manterem activas e combater o sedentarismo, têm cuidados com o corpo e a alimentação, tratam de si e sentem-se bem com isso.

Das inquiridas, 79 por cento demonstram uma preocupação com o seu corpo, 44 por cento praticam exercício regularmente e 88 por cento têm cuidados com a alimentação, sendo que 27 por cento levam esta questão muito a sério por motivos de saúde. O tempo dedicado a si mesma também entra em linha de conta, já que 65 por cento das inquiridas sentem que possuem tempo suficiente para tratar de si e 20 por cento demonstram estar satisfeitas com o seu corpo, ao contrário de 12 por cento que gostariam de perder peso.


A pele não tem idade

O maior órgão do corpo humano também mereceu especial atenção no estudo realizado, focando-se nos cuidados com a hidratação e na ligação e utilização periódica que as inquiridas revelaram ter nos seus cuidados diários.

82 por cento das mulheres afirmaram que é importante cuidar e tratar da pele com um creme hidratante de forma regular, sendo que 43 por cento são fiéis a uma marca, procurando combater sintomas associados à idade como a falta de brilho da pele, flacidez e a secura. 57 por cento costumam variar de marca, sendo receptivas a promoções, novidades e ao preço.

Como factor principal na escolha de um produto, destacam a sua capacidade de hidratação, suavidade, conforto, eficácia e fragrância.

Manter uma boa figura e sentir-se bem na sua pele, independentemente da idade, são algumas das conclusões que se retiram deste estudo. Mulheres activas, dinâmicas, atentas e preocupadas com o seu corpo, que procuram estar informadas sobre os produtos que utilizam e que esperam resultados que  vão ao encontro das suas necessidades físicas dominam a amostra que serviu de base e que na hora de cuidar de si, a idade é um factor que, apesar de ser levado em conta, acaba por ser cada vez menos importante quando o objectivo é sentir-se bem.

Estudo
O estudo foi realizado pela GfK para Lutsine entre os dias 5 e 7 de Fevereiro de 2013, através da realização de 100 entrevistas telefónicas, num universo constituído por mulheres portuguesas com idades compreendidas entre os 45 e os 64 anos, residentes na Grande Lisboa e Grande Porto.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019