Dr. Filipe Froes Dr. Filipe Froes
14/04/2016 12:30:47
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
81 portugueses internados por dia devido a pneumonia: Entrevista ao Dr. Filipe Froes

“O nosso envelhecimento não é um envelhecimento saudável. É um envelhecimento com doença”. Quem o afirma é o Dr. Filipe Froes, na apresentação dos números da pneumonia em Portugal. O médico pneumologista do Hospital Pulido Valente e membro da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) revelou à News Farma os principais dados a reter deste estudo, entre os quais que em média 81 portugueses são internados diariamente por pneumonia da comunidade. Conheça os números da pneumonia em Portugal na entrevista em vídeo.

O estudo incide na década de 2000 a 2009, referente a Portugal Continental. No geral, conclui-se que há mais internamentos e, apesar dos esforços, a mortalidade não diminui. O Dr. Filipe Froes, também consultor da Direção-Geral da Saúde para a área das Doenças Respiratórias e Vacinação, afirma que destes 81 portugueses internados por dia, 16 irão morrer, o que perfaz um óbito a cada 90 minutos.
Do ponto de vista económico, a pneumonia comporta igualmente um forte impacto. A cada quatro dias e meio são registados 1 milhão de euros em custos diretos por internamento devido à pneumonia da comunidade, o que se traduz em 80 milhões de euros por ano.
Segundo o especialista, “a incidência da pneumonia aumenta porque cada vez vivemos mais com doenças crónicas”. Ou seja, há inúmeras patologias crónicas que fazem aumentar o risco de pneumonia. Uma pessoa com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), por exemplo, tem um risco 20 vezes superior de vir a ter pneumonia. Um doente com diabetes acresce igualmente o risco de desenvolver esta doença respiratória, para além de que comporta um risco de mortalidade acrescido e, em média, mais um dia de internamento para além da média.
A prevenção é uma das medidas apontadas pelo médico pneumologista, entre as quais a cessação tabágica, vacina antigripal, vacinação pneumocócita, alimentação saudável, a prática de exercício físico e uma boa higiene oral.
Por fim, o Dr. Filipe Froes acrescenta ainda que os dados mais recentes acerca da pneumonia em Portugal vêm confirmar que a tendência verificada na primeira década do século XXI ainda se mantém nos dias de hoje: número elevado de internamentos e mortalidade continua a não diminuir.

Vídeo


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019