Ministro da Saúde anuncia alargamento do Desafio Gulbenkian Stop Infeção Hospitalar! no SNS
Ministro da Saúde anuncia alargamento do Desafio Gulbenkian Stop Infeção Hospitalar! no SNS

O governo pretende generalizar ao maior número de unidades de saúde as práticas do Desafio Gulbenkian Stop Infeção Hospitalar!, que envolveu 19 hospitais e que reduziu em mais de 50% quatro tipos de infeções hospitalares. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Prof. Doutor Adalberto Campos Fernandes, na sessão de apresentação dos resultados da iniciativa.

Aos jornalistas, o ministro da Saúde referiu que "nunca Portugal tinha alcançado resultados tão positivos numa batalha como esta". Momentos antes, na sessão de encerramento da apresentação da iniciativa, já havia considerado como "históricos" os resultados alcançados.

De acordo com o Prof. Doutor Adalberto Campos Fernandes, e recordando que Portugal tem das mais elevadas taxas de infeção hospitalar, as infeções hospitalares e as bactérias resistentes são "uma ameaça mundial".

Também o Presidente da República, Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, que encerrou a cerimónia, afirmou ser "inequívoco que as infeções hospitalares são um grave problema de Saúde Pública", que colocam em causa a qualidade da prestação de cuidados, que aumentam o tempo de internamentos e provocam mais óbitos.

As doze instituições de saúde que receberam a distinção pela participação no projeto Stop Infeção Hospitalar! foram:

1. Unidade Local de Saúde do Nordeste
2. Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães
3. Hospital de Braga
4. Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil
5. Centro Hospitalar de São João
6. Unidade Local de Saúde de Matosinhos
7. Centro Hospitalar Cova da Beira
8. Centro Hospitalar de Lisboa Central
9. Centro Hospitalar Lisboa Norte
10. Centro Hospitalar Barreiro Montijo
11. Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo
12. Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira
Desafio Gulbenkian Stop Infeção Hospitalar!

Apresentado em março de 2015 na Gulbenkian, em Lisboa, o Desafio Gulbenkian Stop Infeção Hospitalar! propôs-se a reduzir em 50% quatro tipos de infeções hospitalares. Desta forma, pretendeu-se poupar vidas, diminuir o número de dias de incapacidade por doença, poupar o sofrimento dos doentes e famílias e os consumos.

Em 2014 Portugal tinha quase o dobro das infeções hospitalares que a média dos países europeus.

Passados três anos a trabalhar com 19 hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e com mais de 240 profissionais, a implementação deste projeto, com uma metodologia própria, tem permitido uma melhoria dos procedimentos de prevenção das infeções do local cirúrgico, infeção do trato urinário em doentes com cateter vesical, infeções da corrente sanguínea em doentes com cateter vascular central e na pneumonia associada à intubação.

Até ao momento, com a implementação deste projeto foi possível reduzir em 65% as infeções do local cirúrgico em cirurgia geral e em 78% as infeções do local cirúrgico de ortopedia. Para além disso, verificou-se ainda o decréscimo das infeções do trato urinário associado a cateter vesicalem 35%, em 51% as pneumonias associadas a intubação e em 61% a KSRCVC.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019