XV Reunião Científica da Sociedade Portuguesa de Queimaduras marcada pela presença internacional
18/11/2019 16:33:43
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
XV Reunião Científica da Sociedade Portuguesa de Queimaduras marcada pela presença internacional

Decorreu no passado dia 16 de novembro, no Centro de Eventos do Hotel da Quinta das Lágrimas, em Coimbra, a XV Reunião Científica da Sociedade Portuguesa de Queimaduras (SPQ), entidade que aglutina os médicos, das mais diversas especialidades, ligados ao tratamento de doentes queimados. Esta reunião, contando com a presença de elementos de todas as Unidades de Queimados Nacionais, teve como conferencistas convidados o Prof. Doutor Joan Pére Barret, director do Serviço de Cirurgia Plástica e Unidade de Queimados de Vall D’ Hebron, em Barcelona, e ex-Presidente da European Burns Association (EBA), e da Dr.ª Carmen Vivó, anestesiologista, responsável pelo tratamento dos doentes críticos na Unidade de Queimados do Hospital La Fé, em Valência, Espanha.

Durante o período da manhã, os trabalhos tiveram início com uma mesa inaugural, em que intervieram o Prof. Doutor Luís Cabral, coordenador Clínico da Unidade de Queimados do CHUC e presidente da Comissão Organizadora da XV Reunião da SPQ, a Dr.ª Sara Ramos, presidente cessante da Sociedade Portuguesa de Queimaduras, a Dr.ª Rosário Orfão, presidente da Sociedade Portuguesa de Anestesiologia e o Dr. Celso Cruzeiro, presidente da Associação Amigos dos Queimados e da Comissão de Honra desse encontro.

Todos realçaram, sob diversas perspectivas, o papel crucial que uma abordagem multidisciplinar tem no tratamento adequado dos doentes queimados, sendo mesmo uma condição indispensável para o seu sucesso.

De seguida, a Dr.ª Carmen Vivó proferiu uma conferência de altíssima qualidade científica abordando diversos pontos relacionados com o tratamento médico destes doentes, com particular relevo para a prevenção e tratamento da infecção, nutrição e controlo do metabolismo, entre outros, sublinhando também o papel que uma reabilitação precoce, incluindo fisioterapia intensiva, assume para o prognóstico destes doentes e para uma mais completa recuperação funcional e retorno à vida activa.

Por sua vez, o Prof. Doutor Joan Barret resumiu de uma forma abrangente e directa os últimos avanços no tratamento cirúrgico das queimaduras, referindo, por exemplo, a introdução dos biomateriais, a utilização de retalhos microcirúrgicos e o desbridamento enzimático precoce.

Houve também lugar à apresentação e discussão de nove posters científicos, seguindo um período de apresentação de comunicações livres, com moderação a cargo da Dr.ª Fátima Barros, do Hospital da Prelada, no Porto, e da Dr.ª Maria Manuel Mendes, do Hospital de São José, em Lisboa.

O Prof. Doutor Luís Cabral encerrou a Reunião, com a entrega do prémio para o melhor poster, apresentado pela Dr.ª Ana Rita Gomes, do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e intitulado “Um diagnóstico improvável na Unidade de Queimados”, e para a melhor comunicação livre, atribuído ex aequo à Dr.ª Joana Albuquerque Martins, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), pelo trabalho intitulado “A reabilitação da mão queimada” e à Prof.ª Doutora Anália Carmo, igualmente do CHUC, pela comunicação livre “Pesquisa de fungos numa Unidade de Queimados”.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019