Entidades farmacêuticas juntam-se contra descontos nos medicamentos
12/12/2019 15:32:56
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Entidades farmacêuticas juntam-se contra descontos nos medicamentos

Várias entidades da saúde assinaram um acordo no qual solicitam a aprovação de uma legislação que limite ao máximo de 3% o desconto permitido sobre a parte não comparticipada de medicamentos sujeitos a receita médica. O documento propõe também a discussão do tema pelos parceiros da saúde, a tutela e a Autoridade da Concorrência, assim como a integração do tema nas agendas dos partidos políticos.

 

Esta tomada de posição quanto aos descontos e concorrência nas farmácias comunitárias, uma iniciativa da Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia (APEF), foi subscrita pela Associação de Farmácias de Portugal, Associação Nacional das Farmácias, Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos, Ordem dos Farmacêuticos e Sindicato Nacional dos Farmacêuticos. O Dr. Lucas Chambel, vice-presidente da APEF, celebrou a adesão do sector em torno do tema: “já não se trata do que a APEF quer, mas do que o sector impõe que seja realmente mudado”.

O responsável explicou que os estudantes de Farmácia pedem para continuar a aplicar na vida profissional o que aprenderam na universidade: “queremos ser julgados pela componente técnico-científica e pelo aconselhamento que damos aos cidadãos, não pela forma como praticamos descontos”.

Os estudantes lançaram recentemente a campanha “Competimos pelo Melhor Aconselhamento” e vão pedir reuniões com os partidos políticos com assento parlamentar.

“Pretendemos ter, a curto prazo, uma alteração legal nesta matéria”, concluiu o representante da APEF.

Aceda aqui à campanha "Competimos pelo Melhor Aconselhamento".

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019