Cientistas australianos criam coronavírus em laboratório para acelerar vacinas
30/01/2020 16:47:37
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Cientistas australianos criam coronavírus em laboratório para acelerar vacinas

Uma equipa de cientistas australianos revelou ter criado em laboratório uma versão do novo coronavírus identificado na China. A descoberta pode acelerar a criação de uma vacina contra a infeção, sendo obra do Instituto Peter Doherty de Infeção e Imunidade, em Melbourne.

 

A amostra foi desenvolvida a partir de um doente infetado, sendo que os seus dados serão agora partilhados com a Organização Mundial de Saúde (OMS), na esperança de diagnosticar e tratar a infeção. Um laboratório na China já tinha conseguido recriar o coronavírus com sucesso, divulgando apenas a sequência do genoma, e não a amostra em si.

“Estamos preparados para um incidente como este há muitos anos, por isso é que conseguimos agir tão depressa”, realçou o vice-diretor do instituto, o Dr. Mike Catton, em declarações à BBC.

De acordo com a instituição, a amostra, que servirá como forma de verificar se a vacina é eficaz, poderá ainda a vir a ser usada para gerar um teste de anticorpos, permitindo a deteção do vírus em pessoas que não apresentam sintomas e perceber o quão vasto pode ser, o que constitui um “game-changer” para o diagnóstico.

A epidemia do novo coronavírus tomou a cidade de Wuhan, na China, no final de 2019. Ainda que o país tenha isolado grande parte da província de Hubei, o vírus já se alastrou a mais de 17 países, aos quais se juntaram mais recentemente a Finlândia e os Emirados Árabes Unidos. Na China, a infeção já causou 170 mortes e 5,700 doentes.

 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019