Na luta contra o covid-19, GSK doa 10 milhões de dólares à OMS
01/04/2020 16:19:39
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Na luta contra o covid-19, GSK doa 10 milhões de dólares à OMS

A farmacêutica GSK assegura estar a acompanhar de perto a emergência de Saúde Pública mundial criada com a pandemia de covid-19 e a mover todos os esforços, global e localmente, para ajudar a combater o novo coronavírus. Nesse sentido, a multinacional doou dez milhões de dólares ao “Covid-19 Solidarity Response Fund” da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização Mundial de Saúde (OMS), para apoiar a prevenção, diagnóstico e tratamento da pandemia.

 

“Estamos altamente comprometidos em apoiar a resposta global à pandemia do novo coronavírus. Através da nossa ciência e tecnologia, estamos a ajudar a desenvolver novas vacinas e medicamentos para prevenir e tratar o covid-19. Nesta hora, também quero deixar uma palavra de agradecimento e reconhecimento aos profissionais de saúde que estão na linha da frente do combate a esta pandemia. Acredito, convictamente, que é essencial acelerar as sinergias e colaborações entre a comunidade científica, a indústria, as autoridades, os governos e os profissionais de saúde, para conseguirmos ultrapassar este momento difícil”, afirma a Dr.ª Emma Walmsley, CEO da GSK.

Enquanto organização, a GSK revela estar submersa no processo de descoberta de uma vacina para o SARS-CoV-2. O ponto de partida foi a formalização de uma colaboração com o Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI) para disponibilizar a tecnologia adjuvante da companhia aos cientistas que estão a investigar vacinas candidatas para a prevenção do covid-19.

No âmbito desse acordo, a primeira instituição com quem foi estabelecida uma parceria foi a Universidade de Queensland, na Austrália. Recentemente, foi anunciada uma nova colaboração, com a Clover Biofarmaceuticals, empresa sedeada na China, para fornecer tecnologia de apoio ao seu programa de investigação de vacinas. Desde então, o número de colaborações tem vindo a aumentar e, atualmente, estão em curso cinco projetos com empresas parceiras e grupos de investigação em todo o mundo, adianta a entidade.

“Os primeiros ensaios pré-clínicos de uma das parcerias já estão concluídos relativamente aos benefícios da tecnologia adjuvante e aguarda-se que as restantes iniciativas apresentem os seus dados, algo que deve acontecer nos próximos três meses. Essa informação será fundamental para decidir os próximos passos do desenvolvimento clínico das vacinas candidatas”, acrescenta o organismo.

Paralelamente, a GSK associou-se ainda ao “COVID-19 Therapeutics Accelerator”, uma plataforma colaborativa que junta representantes da indústria e da academia, para investigar possíveis alternativas terapêuticas para os doentes infetados com o novo coronavírus, tendo “grandes expectativas” quanto aos resultados.

A farmacêutica adianta ter iniciado também um processo interno de voluntariado, em todo o mundo, apelando aos seus colaboradores que tenham formação e experiência na área médica para se disponibilizarem a ajudar no combate à pandemia, ao lado dos profissionais de saúde.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019