Região Centro mantém coberturas elevadas de vacinação
23/04/2020 14:47:05
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Região Centro mantém coberturas elevadas de vacinação

A vacinação na região Centro mantém coberturas elevadas, com percentagem entre os 98 e 99%, anunciou esta quarta-feira, dia 22 de abril, a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC). Os dados foram divulgados após a entidade conhecer os resultados do Plano Nacional de Vacinação (PNV) de 2019.

 

No ano passado, a ARSC realça que as coberturas vacinais foram elevadas nos grupos avaliados, tendo sido administradas 270.322 vacinas nas unidades funcionais dos agrupamentos de centros de saúde e nas unidades locais de saúde de Castelo Branco e Guarda.

"De uma maneira geral, as coberturas vacinais na infância são elevadas. No âmbito da estratégia de vacinação do BCG, dirigida a grupos de risco, foram vacinadas 1.996 crianças com idade inferior a seis anos (idade recomendada), tendo o processo decorrido em 24 pontos de vacinação", destaca a entidade.

De acordo com a organização, os resultados alcançados "só foram possíveis com a sensibilização e o envolvimento continuado de todos os profissionais de saúde que trabalham nesta área".

Os resultados "revelam terem sido atingidos os níveis necessários para conferir imunidade de grupo e para cumprir os objetivos dos programas prioritários de erradicação da poliomielite e de eliminação do sarampo e da rubéola, na componente da vacinação".

"A vacinação, que constitui o maior avanço da Medicina moderna, permite o bem-estar da população, previne doenças, contribui para um envelhecimento saudável, previne vários tipos de cancro e reduz a ameaça da resistência aos antibióticos", adianta.

Em Portugal, de acordo com a ARSC, a vacinação permitiu eliminar doenças como a difteria, a poliomielite, o sarampo e a rubéola, bem como controlar muitas formas de meningite, a tosse convulsa e a papeira, entre outras.

"Num contexto de pandemia de COVID-19, é ainda mais importante relembrar a importância da vacinação recomendada no PNV", frisa o organismo regional.

Fonte: Lusa


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019