Ordem dos Médicos defende campanha sobre bom uso de máscaras
04/05/2020 17:38:40
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Ordem dos Médicos defende campanha sobre bom uso de máscaras

A Ordem dos Médicos defendeu hoje, dia 4 de maio, a divulgação de uma campanha de comunicação massiva sobre o bom uso de máscaras, o reforço dos rastreios para a COVID-19 nos lares e a criação de um “passaporte imunológico”.

 

Tendo em conta “as mais recentes informações relacionadas com a pandemia provocada pelo SARS-CoV-2 e no momento atual em que o país se prepara para, progressivamente, retomar várias atividades”, a Ordem dos Médicos recomenda o rastreio regular voluntário dos profissionais de saúde da linha da frente, além de manifestar disponibilidade para participar “de forma ativa” no rastreio da COVID-19 nos lares.

A entidade insiste na obrigatoriedade da utilização de máscaras comunitárias ou máscaras cirúrgicas pelos cidadãos, certificadas pelo Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), em locais públicos, particularmente nos estabelecimentos de saúde, incluindo farmácias e lares, ou estabelecimentos comerciais, bem como em todos os locais onde não seja possível cumprir as medidas de distanciamento social.

“Esta utilização tem, obrigatoriamente, de ser acompanhada por uma campanha de comunicação massiva que promova a literacia do uso destes equipamentos”, sustenta a ordem, que defende ainda a importância do acesso a informação clínica e epidemiológica dos doentes COVID-19 por parte da comunidade médica e científica, já que a página da Direção-Geral da Saúde (DGS) “disponibiliza apenas 16 itens que pouco acrescentam em relação ao boletim epidemiológico”.

Leia a notícia na íntegra na página da News Farma dedicada em exclusivo à COVID-19, aqui.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019