Certificado das três milhões de máscaras vendidas à DGS “é válido”, garante Quilaban
19/05/2020 14:56:38
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Certificado das três milhões de máscaras vendidas à DGS “é válido”, garante Quilaban

A empresa Quilaban, que vendeu três milhões de máscaras à Direção-Geral de Saúde (DGS), já assegurou que “a certificação apresentada era verdadeira e válida e continuou verdadeira e válida através de um novo certificado”. O esclarecimento surge depois de o jornal Público ter noticiado publicado um artifo com o título “Três milhões de máscaras compradas com certificado falso”.

 

No domingo, aquando da publicação do jornal, o secretário de Estado da Saúde, o Dr. António Lacerda Sales, afirmou que as máscaras vendidas à DGS não tinham sido distribuídas nem pagas, esperando clarificar a situação no início da semana.

A Quilaban esclareceu esta segunda-feira, via comunicado, que “a conformidade da qualidade das máscaras FF92 /KN95 é assegurada, não só por esta [nova] certificação, como também pelos testes realizados à produção da Gansu pelo Guandong Testing Institute of Product Quality Supervision ao abrigo da norma Chinesa GB 2626-2006, de resto considerada como equivalente à norma Europeia no âmbito do Decreto-Lei nº 14-E/2020, de 13 de abril”.

A empresa explica todo o processo, referindo que a adjudicação dos três milhões de respiradores FF92 /KN95 à Quilaban ocorreu no dia 7 de abril e a sua produção foi concluída no dia 21 de abril, período coberto pelo novo certificado ICR Polska/CE/V/01RE473, e que entre a adjudicação e a data de produção dos produtos decorreram 14 dias.

Leia a notícia completa na página da News Farma dedicada em exclusivo à COVID-19, aqui.

 

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019