APFH introduz curso sobre “outros vírus a não ser esquecidos”
07/07/2020 15:36:49
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
APFH introduz curso sobre “outros vírus a não ser esquecidos”

O Módulo 1 do “Curso APFH 2020 – Outros vírus a não ser esquecidos” tem lugar já no próximo dia 11 de julho, às 09h00, em formato virtual. Em tempos de COVID-19, a formação promete abordar outros vírus e debater de que forma é possível interromper a cadeia de transmissão de determinadas doenças infecciosas.

 

Nesta altura de pandemia, a APFH relembra que existem vários vírus que não podem ser esquecidos. É o caso do sarampo, que já foi considerado eliminado em Portugal no passado, mas que já surgiu de novo entre a comunidade. Surtos de infeção causados pelos vírus da papeira acabam também por alarmar a população. A rubéola, apesar de ter consequências menos danosas no que respeita à inflamação tecidular, se for contraída pela grávida, pode induzir danos irreparáveis no feto. A poliomielite pode causar paralisia e a erradicação desta doença também já está no horizonte.

Ainda assim, “a raiva humana é um caminho mais longo que teremos de percorrer no sentido de garantir o acompanhamento apropriado dos doentes que chegam aos hospitais com mordeduras de animais transmissores, promovendo também a vigilância ativa da circulação deste vírus a nível nacional”.

Nesse sentido, numa altura em a população se mostra receosa em se dirigir a unidades de saúde para cumprir o Programa Nacional de Vacinação e que muitos profissionais de saúde estão alerta para as temáticas relacionadas com infeções induzidas por vírus, “os farmacêuticos hospitalares terão a oportunidade de relembrar conhecimentos e de ser orientados para uma intervenção conjunta com o objetivo de interromper a cadeia de transmissão de determinadas doenças, sendo também divulgadas medidas de prevenção e tratamento adequadas aos casos identificados e formas de prevenir complicações”, informa a APFH.

Além disso, continua a entidade, “os movimentos anti vacina são uma ameaça à eliminação destes vírus e o farmacêutico tem um papel fundamental na educação do cidadão e consecutivamente na erradicação de determinadas doenças”.

“Sarampo, Papeira e Rubéola: Passado, Presente e Futuro”, “Desafios atuais da erradicação da poliomielite” e “Taxonomia, estrutura e multiplicação dos poliovírus” são alguns dos temas em destaque, numa formação que conta com uma forte componente de discussão entre o palestrante e os participantes sobre as causas e consequências da disseminação destes vírus em Portugal.

Consulte o programa na íntegra aqui.

A inscrição deverá ser realizada nesta ligação.

Os interessados podem também submeter no fórum as suas questões, que serão discutidas entre todos os formandos e palestrantes.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019