Dia Nacional da Doação de Órgãos e Transplantação assinalado com mensagens de doentes
Dia Nacional da Doação de Órgãos e Transplantação assinalado com mensagens de doentes

O Dia Nacional da Doação de Órgãos e da Transplantação assinala-se hoje e devido às limitações impostas pelo novo Coronavírus, que impedem a habitual comemoração desta data, a Sociedade Portuguesa de Transplantação convidou os doentes transplantados a enviar um vídeo, com duração de cerca de um minuto, relatando a importância ou o impacto que o transplante teve nas suas vidas. Estes vídeos serão partilhados nas redes sociais da sociedade.

“A SPT comemora há 12 anos o Dia do Transplante, que coincide com a realização do primeiro transplante renal em Portugal. A institucionalização desta data como Dia Nacional da Doação de Órgãos e da Transplantação foi um marco importante para a transplantação portuguesa e uma demanda da SPT desde o primeiro Dia do Transplante”, começa por explicar Susana Sampaio, presidente da SPT.

Apesar da impossibilidade de assinalar a data com “a habitual cerimónia oficial e o convívio entre os doentes transplantados, queremos continuar a prestar o nosso apoio a todos eles e deixar-lhes uma mensagem de esperança para o futuro”, complementa Susana Sampaio.

Os doentes transplantados que tenham participado no desafio lançado pela SPT de enviarem um vídeo com o seu testemunho poderão posteriormente ver os vídeos selecionados publicados na página de facebook da SPT.

De acordo com os últimos dados divulgados, em 2018, Portugal ocupou o terceiro lugar no “ranking” mundial da doação de órgãos de dador falecido, a seguir a Espanha e à Croácia, com 33,4 dadores por milhão de habitantes (pmh), tendo em 2019 ficado nos 33.8 dadores pmh. No que diz respeito ao tipo de órgãos transplantados, o transplante cardíaco manteve-se em curva descendente (12,1%), justificando-se em parte pelo envelhecimento da população. Por outro lado, o transplante pulmonar regista um crescimento, atingindo em 2019 o maior número de pulmões transplantados até hoje: 70 órgãos em 39 doentes, o que representa um aumento de 40% em relação ao ano anterior.

“De uma forma geral, a doação de órgãos em 2019 manteve um perfil ascendente. De referir que a idade dos dadores falecidos tem sido progressivamente mais elevada, o que segue a tendência mundial. Este dado tem como consequência o aumento do número de órgãos de critérios expandidos ou descartados para transplante, sendo, no entanto, de salientar que no ano passado se observou uma maior taxa de utilização de órgãos. O número de doentes em lista de espera mantém-se estável ao longo dos anos, sendo que em 2018 cerca de dois mil portugueses aguardavam por um transplante.” – comenta ainda a presidente da SPT.

A Astellas Farma associa-se às celebrações do Dia Nacional da Doação de Órgãos e Transplantação e está empenhada em esforçar-se continuamente para melhorar a imunossupressão e a vida dos doentes, investindo no futuro na área da transplantação, através da investigação e desenvolvimento.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019