11.ª Reunião Nacional de Unidades de Acidente Vascular Cerebral decorre já amanhã, em formato virtual
11.ª Reunião Nacional de Unidades de Acidente Vascular Cerebral decorre já amanhã, em formato virtual

 A Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC) organiza, amanhã, dia 18 de setembro, a 11.ª Reunião Nacional de Unidades de Acidente Vascular Cerebral (UAVC), em formato exclusivamente virtual.

Este encontro reúne Unidades de AVC de todo o país para debater sobre as mais recentes evidências em torno do tratamento agudo do AVC, a análise de ensaios clínicos multinacionais e a reorganização dos cuidados aos doentes em contexto de pandemia. Pretende-se garantir a atualização científica dos profissionais de saúde dedicados a esta abordagem, partilhando experiências entre as várias equipas das UAVC distribuídas por todo o país.

“A doença vascular cerebral e os doentes com AVC cada vez mais merecem a nossa atenção, sobretudo nesta época de grandes desafios por causa da pandemia COVID-19”, afirma a Prof.ª Patrícia Canhão, vice-presidente da SPAVC. “Por isso, a pertinência de manter a Reunião das Unidades de AVC, desta vez em formato virtual, trazendo a oportunidade de falar de progressos científicos e de como os aplicar na vida real”.

A preceder a abertura da reunião, a iniciativa Angels promove uma sessão sob o mote “Dar à vida uma oportunidade”, onde será apresentada uma “Task Force” em Enfermagem dedicada ao acompanhamento dos doentes com AVC, bem como o projeto “Melhora quem sabe”, visando a monitorização e melhoria do tratamento agudo do AVC.

Da parte da tarde, entre as 14h15 e as 19h, os temas incidem na fase aguda do AVC bem como na prevenção secundária e acompanhamento dos doentes na era COVID-19. “Os tópicos escolhidos inserem-se nas principais preocupações de quem trabalha nas Unidades de AVC. Numa primeira sessão, falar-se-á de trombólise depois das 4,5 horas de evolução e dos benefícios esperados em doentes selecionados”, aponta o Dr. Miguel Rodrigues, neurologista. “De igual forma, será abordada a trombectomia e como selecionar os doentes de acordo com a fisiologia do AVC e não apenas de acordo com a cronologia dos eventos”.

De destacar ainda a análise dos principais ensaios clínicos de grande dimensão que foram divulgados em maio, como sessão antecipada de novidades do Congresso da ESO e WSO. “A sua relevância justificou que fossem apresentados em maio e não em novembro, data para a qual foi alterado o programa principal do congresso ESO-WSO, pelo que consideramos importante partilhá-los também agora, na reunião das Unidades de AVC”, explica o doutor também da Direção da SPAVC.

Esta formação virtual é dirigida especialmente às equipas multidisciplinares das várias UAVC do país, mas também aberta a profissionais ligados à área da saúde, com interesse em aprofundar os seus conhecimentos sobre AVC. “A SPAVC empenha-se em que a sua mensagem chegue aos vários elementos envolvidos na atividade diária das Unidades de AVC, de forma a conseguir melhores resultados assistenciais”, acrescenta o especialista.

São esperados centenas de profissionais e uma participação ativa entre pares. “Os vários webinars que a SPAVC promoveu nos últimos meses demonstraram a adesão de muitos profissionais de saúde para discussão de vários temas. Esperamos que o mesmo formato virtual permita manter o convívio “pessoal” e “científico” que estas reuniões das Unidades de AVC nos têm habituado ao longo dos anos”, conclui a Prof.ª Patrícia Canhão.

As inscrições são gratuitas. Todas as informações podem ser consultados no site do evento.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019