Campanha da Pfizer sensibiliza para o cancro da mama metastático
21/10/2020 12:57:01
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Campanha da Pfizer sensibiliza para o cancro da mama metastático

A Pfizer lança, em Portugal, a campanha “Eu & o cancro da mama metastático”, uma iniciativa que pretende ajudar as mulheres com cancro da mama metastático ou metastizado a compreender a sua doença.

“Embora se fale muito do cancro da mama, o cancro mais frequente no sexo feminino, as necessidades das mulheres com cancro da mama metastizado são muitas vezes negligenciadas. Muitas doentes consideram que não dispõem de informação suficiente sobre a sua doença”, explica presidente da EVITA - Associação de Apoio a Portadores de Alterações Relacionadas ao Cancro Hereditário, a Prof. Doutora Tamara Milagre.

A campanha é constituída por um website em língua portuguesa e por um guia, com mais de 120 páginas, que dá respostas às perguntas mais urgentes relacionadas com o diagnóstico, o tratamento, as emoções, a saúde, os relacionamentos e o trabalho. O guia tem ainda a possibilidade de registar as principais perguntas e sentimentos, funcionando como um diário.

“Tanto o website como o guia de apoio são recursos valiosos para ajudar as mulheres a compreenderem o que significa o seu diagnóstico de cancro da mama metastizado e as decisões que poderão ter de tomar. Talvez o mais importante de tudo, ajuda as mulheres a perceberem que, apesar da doença, está nas suas mãos determinar como desejam desfrutar da sua vida”, afirma a psicóloga clínica especializada em psico-oncologia, Prof. Doutora Luzia Travado.

O cancro da mama é a neoplasia mais frequente no sexo feminino. “Infelizmente, mesmo quando diagnosticado em estado inicial, estima-se que até 30% das mulheres com cancro da mama irão evoluir, alguns meses ou mesmo vários anos depois, para a doença metastática, que ocorre quando o tumor é capaz de progredir para outros órgãos como por exemplo o fígado, o pulmão ou o cérebro. Apesar de a doença não ter cura, tem existido uma grande evolução no sentido de aumentar a eficácia dos tratamentos, estendendo a sobrevivência e qualidade de vida das mulheres”, diz a enfermeira da Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa, Susana Pedro.

Além da EVITA, a campanha “Eu & o meu cancro da mama metastático”, conta ainda com a colaboração das associações: Ame e Viva a Vida; Amigas do Peito; Associação de Mulheres com Patologia Mamária; Mama Help; Careca Power; Partilhas e Cuidados; Viva Mulher Viva.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019