A GlaxoSmithKline (GSK) anunciou que a sua terapêutica biológica para a asma eosinofílica grave, mepolizumab, pode ser autoadministrada pelo doente ou por um cuidador, caso o seu médico determine que é apropriado e desde que o doente ou o cuidador sejam treinados na técnica de administração, possibilitando assim uma maior liberdade de escolha para o doente e para a equipa médica.

 

Publicado em Notícias

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019